Todos os Direitos Reservados © Fata Morgana SPA

11 de setembro de 2008

As coisas caladas que eu sinto chegaram com os primeiros sons da manhã. Lentamente percebi que já não estava a sonhar, que elas me despertavam persistentes na vontade de que lhes prestasse atenção. Sentimentos vivos, coisas de gritar bem fundo no silêncio, de gesticular quieta.
E a vontade de contrariar. Abrir as portadas e ir à varanda e soltar na voz o chorrilho de incertezas, ora para os transeuntes madrugadores, ora para o céu de um cinzento claro. A incerteza nasce no ponto ínfimo que fica precisamente no cruzamento de um bem com um mal. É um ínfimo crucial, portanto.

E deixo-me ficar absorta a tomar a minha chávena de café enquanto reparo, uma vez mais, como os anjos e os demónios se parecem tanto.

© Fata Morgana


9 comentários:

Blood Tears disse...

Os sentimentos mudos enterrados no core do nosso ser, tendem a querer expressar-se de forma controversa. E a linha de separação entre o bem e o mal é muito ténue. O amor e o ódio assim como os anjos e os demónios, dependem da perspectiva sob a qual são observados.... Um conceito não existiria sem o outro....

Acompanho a chávena de café, o meu vício favorito... :)

Blood Kisses

biazinha disse...

Eu tenho que ver tua poesia, pois ainda não tenho uma visão mais concreta.
A tua prosa poética é belíssima.
Sentimentos vivos, coisas de gritar bem fundo no silêncio, de gesticular quieta.Olha só que paradoxo bem construído!
Nossos sentimentos são antitéticos e paradoxais mesmo, e o teu texto retrata muito bem isso e talvez o equilíbrio se encontre neste céu cinzento claro, já que convivemos com o bem e o mal, o anjo e o demônio dentro de nós mesmos. Entre o preto e o branco, o cinza-claro sugere harmonia desses sentimentos.
Beijos.

Ps:Como hoje estou sem inspiração, vou postar uma frase da Blood Tears que é um verdadeira aforismo.

bat_trash disse...

Esse é um tema dos paradoxos da existência é um tema bem recorrente nos domínios da Blood Tears, esta semana estive lá e constatei isto.
Nhá..eu gosto mesmo é de chá de maracujá gelado. Quase todo domingo eu e minha mãe vamos a Saraiva Megastore. Ela fica no cafezinho e eu no chá gelado, pois moro num país tropical e sempre fica a fazer calor até no inverno.
Gosto dos corvos, se não me engano eles estão em extinção.
Dark Kiss.

Vanessa disse...

E deixo-me ficar absorta a tomar a minha chávena de café enquanto reparo, uma vez mais, como os anjos e os demónios se parecem tanto.

coisas caladas que eu sinto deste lado também.

(...)

beijinho grande*

Casimiro Ceivães disse...

Aqui é um lugar de chegar. Beijo *

bat_trash disse...

Ontem estive a ler alguns dos teus poemas de 2003 no Claro Obscuro. voltarei amiúde.
Dark Kiss. :)

Morgana La Folle disse...

Blood Tears,
mas não é o Bem e o Mal. Aqui é uma coisa boa e uma coisa má, sem necessariamente ir à essência.
Talvez pudesse existir só bem ou só mal. O que não teríamos era a perspectiva de observação que mencionas, concordo.

Vai mais um café? :)
Dark kiss.

____________________________

Biazinha,
Digo-te já que prefiro de longe a prosa poética - a que escrevo.
Mas tenho quem me diga o contrário... Bolas, fico confusa :))

Beijos para ti!
______________________________
Bat_trash,
oh... em extinção estamos todos, todos, não apenas nós, os corvos amorcegados!

Crás...crás! :)
_______________________________

Vanessa,
... eu sei. Sei porque ficas com coisas caladas desse lado também.

Beijo*
________________________________

Casimiro,
pois sê muito bem-vindo e vai ficando que tu és uma companhia que... (oh, não digo!) :P

Beijo meu.
________________________________

Bat-Trash,
acho que ter-te por lá a voar é mesmo o espírito daquele castelo, sabes?
Obrigada!
Dark kiss.

biazinha disse...

Eu sinceramente prefiro a prosa poética.
Beijos.

biazinha disse...

Eu sinceramente prefiro a prosa poética.
Beijos.